FALANDO SÉRIO. Princípios e Saúde

jclassi

Princípios e Saúde


José Carlos Lassi Caldeira – médico*


A disposição firme e estável de praticar o bem para si próprio e para o outro é conhecida como virtude ou princípio e constitui a única possibilidade de uma comunidade se fazer saudável e respeitada . Hoje já não se ensina mais tais conceitos.Urge, no entanto, a recuperação do exercício desses princípios pelas novas gerações para que possam ter uma compreensão superior do mundo onde vivem e os praticarem em favor de uma vida mais sadia e de uma coletividade mais fraterna.

 

Os princípios denominados fundamentais, ou virtudes cardeais, que são a Prudência, a Fortaleza, a Moderação e a Justiça têm uma relação muito estreita com o bem estar geral e com a saúde tanto coletiva quanto individual.

 

 

A Prudência é o princípio que permite examinar os fatos e as ações com juízo e racionalidade para se estabelecer a forma correta e eficaz de se viver em harmonia.Saber ocupar seu espaço no mundo sem prejudicar o espaço alheio. A sua falta, denominada imprudência, constitui a ação precipitada, inapta, descuidada ou ignorante. Quantas perdas de vida temos visto em nossos hospitais devido a acidentes de trânsitos seja por imprudência seja por imperícia, quantas vidas jogadas fora por deixar uma arma de fogo ao alcance de adolescentes, quantos acidentes de trabalho por imperícia etc. O mesmo raciocínio se coloca quando crianças chegam aos pronto-socorros com intoxicações graves por medicamentos deixados em gavetas ao alcance da mão do pequeno. A indiferença, a desatenção, o descuido matam e hoje são a principal causa de mortes entre jovens no Brasil.

 

A Moderação ou Temperança é a virtude que ensina o homem a dominar seus instintos em um nível razoável- que não cause danos a si ou a outrem. É a contenção dos prazeres dentro dos limites estabelecidos pela razão. Ela deixa de se manifestar hoje através de uma série de imoderações como o excesso de alimentação causando a pior das epidemias que o país vem enfrentando há alguns anos: a obesidade principalmente entre jovens e a síndrome metabólica que congrega obesidade, hipertensão, dislipidemias e hiperglicemia. A falta de Temperança se vê amiúde no uso excessivo de álcool com todas as conseqüências para a saúde do indivíduo e todos os conflitos familiares que resultam em graves ofensas à integridade física e psicológica dos envolvidos e de toda a população. O tabagismo é hoje um dos poucos fatores bem conhecidos causadores de cânceres ( quase todos) e de uma infinidade de outras enfermidades graves como as doenças pulmonares obstrutivas crônicas , as gastropatias etc etc. Mesmo os exercícios físicos altamente recomendados deveriam ser realizados com moderação Muitas academias se transformaram em fábricas de músculos e a imoderação tem levado a uma série de doenças musculoesqueléticas muitas vezes irrecuperáveis , sem citar o uso excessivo e cancerígeno de anabolizantes e hormônios. Portanto, só a Temperança mantém a saúde.

 

A Fortaleza é a capacidade de enfrentar as adversidades, sobretudo aquelas de ordem sentimental e moral. Não se pode confundir a Coragem com o destemor- este que se aproxima muito da irresponsabilidade, da covardia, do desamor. A Fortaleza serve à Medicina inicialmente para que os diagnósticos precoces sejam feitos a tempo de salvar vidas. É preciso o exercício da Coragem para que ao se verificar um sinal sugestivo de um câncer, se faça logo uma consulta médica para que o êxito do tratamento seja alcançado. A Fortaleza nos permite também enfrentar os traumáticos e penosos tratamentos que às vezes são necessários para a própria pessoa e para os seus próximos ou acolher em casa um avô ou uma mãe que irá conviver muitos anos com um Parkinson ou um Alzheimer. Como diz Chesterton: “A Coragem significa um forte desejo de viver, sob a forma de disposição para morrer” ou como meu nobre e sábio “já encantado” sogro Dr. Mário Cunha : “ saber viver é saber amar, é saber ter coragem”.

 

Por fim, a Justiça. O atributo do caráter que nos permite exercer a equidade, o saber que todos são iguais nas suas desigualdades, o respeito e a consideração das diferenças. A mentira, a injustiça, a injúria são as contradições desta virtude. O não exercício da Justiça talvez seja o que maiores danos cause às pessoas e à coletividade como a falta de acesso à educação e à saúde, direitos previstos e cláusulas pétreas da Constituição; a falta de um sistema universal de saneamento básico causando o enorme número de doenças infecto-contagiosas por má distribuição dos recursos públicos ; a sobrecarga de trabalho a que se vê muitos dos trabalhadores brasileiros enquanto a classe política tem jornada semanal de dois dias. Por aí afora, são inúmeros os malefícios à saúde causados pela falta da Justiça. Um deles, recente, o propinoduto da Petrobras , dinheiro da corrupção cometida poderia ter criado UPAS e Hospitais de qualidade em milhares de cidades brasileiras.

 

As virtudes são aprendidas para sujeitar o corpo ao espírito e manter o homem digno e saudável. Pena que não seja a prática e o entendimento de todos.

 


*José Carlos Lassi Caldeira é médico patrocinense radicado em Belo Horizonte, que passa a assinar a coluna"FALANDO SÉRIO", a partir desta semana , aquí pelo portal da Rede Hoje


expopatro 686x113px animado