Blog da Mônica - "Sujeito a vontade do branco."

carteira trabalho mae do cecílioPor Mônica Othero Nunes

 

Se cada um que guarda em casa fotos, documentos e registros compartilhasse como Cecílio Souza faz além de permitir o conhecimento promoveria também a pesquisa histórica. Nunca foi feito em Patrocínio uma pesquisa sobre os negros que aqui viveram e vivem.Esse documento é de grande valor.
Carteira de trabalho de dona Geralda mãe de Cecílio Souza.
Os dados preenchidos são registros de uma época que ao negro estava direcionado
ser analfabeto e servir ao branco.
Observando as fotos antigas existem entre as crianças um adolescente negro ou a criada.
Vestimentas simples.
As vezes descalços. 
A maioria não tinha carteira de trabalho.
A maioria não era permitido abrir a geladeira ou transitar pela casa fora do expediente. 
Expediente esse sem horário de acabar.
Touxas de roupas.
Ferro a brasa.
Quitandas.
Pratos com leitoa, galinhas.
Doces feitos no tacho. 
Anos e anos de servidão. 
O branco as vezes querendo intimidade no quartinho fora do casarão! !!
O mundo da senzala tão distante do mundo da casa grande.
Não adianta promover encontros só em novembro,
se não estruturar com demandas específicas,
reivindicando junto ao poder público o registro de tantas lutas.

Cecílio ao compartilhar seus registros 
permite que façamos uma viagem , 
uma introspecção em nossas falhas.
Vejo hoje parcela da comunidade negra tentando se organizar por aqui.
Mas para atingir a dimensão necessária 
é preciso registrar o passado.
Buscar na história as passagens de resistência, fé e paciência. 
Conhecer situações até então silenciadas.
Romper com a subserviência. 
Assim como tão bem faz o Cecílio.


atenas-bernoulli-21112017


 

 
 
Área de anexos