ÚNICO. Atlético Mineiro reclama do gramado do Estádio Pedro Alves Nascimento

Para o técnico do Galo, Levir Culpi, o gramado do Gigante do Horto está superado

Foto: Rede Hoje

gramado

O gramado do Pedro Alves é caracteristico da região, por isso mais barato e fácil de cuidar, também exige mais dos atletas 


Luiz Antônio Costa | Rede Hoje


O que nenhum adversário do CAP fez até hoje, coube ao Atlético: reclamar do gramado. Não que houvesse buraco(porque não há), mas pelo tipo de grama. Ela exige mais dos atletas, portanto, provoca mais desgastes. Mas, todos compreendem que essa é uma situação normal no interior. O técnico Levir Culpi chegou a chamá-lo de “superado”. 

 

O zagueiro Maidana, disse que o Atlético encontrou dificuldade no gramado e exaltou a tranquilidade da equipe. “A gente sabia que seria difícil, vimos isso já no aquecimento. O gramado, realmente, deu uma dificultada no nosso jogo. Mas jogamos tranquilos, sabíamos da qualidade deles, estudamos bastante o time deles, e foi uma bola que encaixou. O jogo inteiro a gente estava tentando essa bola e o Guga foi feliz de dar o passe para o Alerrandro fazer o gol”, destacou Maidana.

 

LEVIR-CULPI

O técnico Levir Culpi chamou o graado do Estádio Pedro Alves de “superado”.  Foto: AtléticoMG

O técnico Levir Culpi que já tinha a desculpa preparada em caso de empate ou derrota, aproveitou para desqualificar o gramado. “Foi uma coisa à parte. Realmente, as dimensões são normais, mas o gramado não é e, no segundo tempo, ficou muito mais difícil ainda. É um gramado que força muito a parte física, mas o time rendeu muito bem e fomos coroados no final, premiados com a vitória”.

 

O PORQUE DESSA GRAMA. A grama utilizada nos estádio de Patrocínio, Pedro Alves incluído, é a chamada boiadeira, de nome científico Luziola Leiocarpa. Como é característica da região, a grama boiadeira custa muito menos que as usadas nos outros tipos de gramado e, teoricamente, é mais fácil cuidar. É originária do continente americano e tem ciclo vegetativo perene e de características Rústica. Portanto mais barata, não exige tantos recursos dos municípios.

 

O gramado do Mineirão por exemplo, utiliza a grama Bermuda Celebration, indicada para gramados esportivos em regiões de clima tropical. Essa variedade, utilizada também em outras arenas da Copa do Mundo 2014, foi escolhida por apresentar pouca incidência de pragas e doenças, ser resistente ao pisoteio e apresentar rápida recuperação. Também tem como característica responder bem a fertilizantes, possuir um verde intenso e ser resistente a herbicidas. Mas é muito cara.

 

Veja por exemplo o que ocorreu no estádio Bernardo Rubinger, do Mamoré de Patos de Minas, onde foi plantado esse tipo de grama. Resultado: o clube não conseguiu a manutenção ideal e o estádio foi danificado.