Pra variar, com emoção: Bélgica vence os EUA por 2 a 1 com gols na prorrogação

belgica-e-eua

Os gols sairam todos na prorrogação: a Bélgica fez 2 x 0, os EUA diminuiram em foram para o abafa. Fotos: Felipe Dana

 

Reportagem Edgard Matsuki

 

Pela quinta vez em oito jogos, uma partida das oitavas de final foi para a prorrogação. E mais uma vez, o tempo extra foi mais emocionante que o jogo. Foi justamente na prorrogação que a Bélgica derrotou os Estados Unidos por 2 a 1 em partida disputada na Arena Fonte Nova (em Salvador) e se classificou para a próxima fase do Mundial.

 

O primeiro tempo da partida seguiu a tônica de todos os jogos da Bélgica na Copa do Mundo e, ao mesmo, contradisse todos os jogos disputados até o momento na Arena Fonte Nova: foi morno e sem grandes chances de gols.

 

A Bélgica teve domínio territorial, mas os meias Hazard e Mertens insistiam em segurar excessivamente a bola e cadenciar o jogo. Com isso, as grandes chances do time aconteciam em cruzamentos e em chutes de longa distância. Todos neutralizados pela zaga ou pelo goleiro Howard.

 

A melhor chance para os belgas no primeiro tempo aconteceu aos 23 minutos. No lance, De Bruyne chegou livre na pequena área e chutou para fora. Na primeira etapa, os EUA se limitaram a se defender e buscar o contra-ataque.

 

-torcida-belgicaO torcida belga esteve apreensiva boa parte do jogo, mas depois de soltou

 

Na segunda etapa, a Bélgica partiu com mais efetividade para cima dos norte-americanos. E foi aí que Howard se consagrou de verdade. O goleirão defendeu bons lances aos 2, 11, 27, 31, 39 e 44 minutos. E a trave salvou os EUA aos 10 minutos. No lance, Origi cabeceou de costas e a bola bateu caprichosamente no travessão.

 

Quando a trave e Howard não foram efetivos, os belgas trataram de desperdiçar as chances. Isso aconteceu aos 7 minutos. No lance, Origi furou em um bom cruzamento de Hazard. No segundo tempo, os norte-americanos não conseguiram chegar ao ataque. E o tempo normal acabou 0 a 0 mesmo.

 

Na prorrogação, o cansaço bateu nos jogadores e os gols começaram a sair. A entrada de Lukaku no lugar de Origi mudou a partida. Logo aos 3 minutos, Lukaku saiu pela direita e cruzou para  De Bruyne fazer o gol.

 

Aos 14 minutos, Lukaku marcou mais um. Ele recebeu livre e finalizou bonito. Howard, que pegou quase tudo, deixou essa passar. A vaga parecia estar encaminhada. Mas aí, os Estados Unidos resolveram começar a jogar bola.

 

No primeiro lance do segundo tempo da prorrogação, os EUA conseguiram diminuir. Green recebeu  livre pelo alto e completou meio atrapalhado para o gol. Courtois não conseguiu defender. Depois do gol, os norte-americanos começaram a pressionar em busca do empate. Em contra-ataques, a Bélgica chegou a assustar. Mas o placar não se mexeu. No final, Bélgica 2 x 1 Estados Unidos.

 

Com o resultado, a Bélgica vai enfrentar a Argentina no próximo sábado (5), às 13h, no estádio Mané Garrincha (em Brasília). O vencedor do confronto vai enfrentar o vencedor de França e Alemanha nas semifinais do Mundial do Brasil.

 

Bélgica 2 x 1 EUA 

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)

Data: 1º de julho de 2014, terça-feira

Árbitro: Djamel Haimoudi (Argélia)

Assistentes: Redouane Achik (Marrocos) e Abdelhak Etchiali (Argélia)

Cartões amarelos: Kompany (Bélgica); Cameron (EUA)

 

Bélgica: Courtois; Kompany, Van Buyten, Toby e Vertonghen; Witsel, Fellaini e De Bruyne; Hazard (Chadli), Origi (Lukaku) e Mertens (Mirallas). Técnico: Marc Wilmots

 

EUA: Howard; Beasley, Besler, González e Johnson (Yedlin); Jones, Cameron, Bradley ; Bedoya, Zusi (Wondolowski) e Dempsey. Técnico: Jurgen Klinsmann


Edgard Matsuki é repórter do Portal EBC