Conversa revela ligação entre irmão de Ronaldinho e máfia de ingressos

Justiça gravou conversa de Assis com Mohamadou Lamine Fofana, acusado de ser chefe de quadrilha que negociava bilhetes das últimas quatro Copas

Assim como Ronaldinho, Assis enfrenta problemas pessoais, decorrência da saúde de sua mãe

Irmão e empresário de Ronaldinho, Assis conversa descontraidamente com suposto chefe de quadrilha

O irmão e empresário de Ronaldinho Gaúcho, Assis, pode ter relações com a máfia que negociava ingressos das últimas quatro Copas do Mundo. O homem apontando como chefe da quadrilha é o francês Mohamadou Lamine Fofana, e foi preso com dez pessoas na última terça-feira. Em reportagem do jornal “O Dia”, uma escuta telefônica mostra a ligação entre os dois empresários.

“Meus amigos te ligaram. Você não tinha mais ingressos?”, questiona o irmão do meia-atacante atleticano. “Dois amigos seus me ligaram e tivemos um pequeno problema. Ele me ligou e 15 dias depois achou que o ingresso era o mesmo. E eu não sou cambista. (…) Eu tenho vip. Tenho muitos vips. Não tenho categoria 3”, responde o francês.

Segundo a publicação,  a conversa entre os dois foi gravada no dia 17 de outubro e teve cerca de cinco minutos de duração. O teor do bate-papo é bastante descontraído e revela bastante intimidade entre os envolvidos. Assis conta ao amigo uma proposta que tem para Ronaldinho, e Lamine ainda o convida para uma festa.

Confira o trecho da conversa que foi autorizado pela Justiça:

Assis : Meus amigos te ligaram. Você não tinha mais ingressos?
Lamine: Dois amigos seus me ligaram e tivemos um pequeno problema. Ele me ligou e 15 dias depois achou que o ingresso era o mesmo. E eu não sou cambista.
Assis: Risos. Claro! Ele me perguntou e eu disse: ‘Escuta, eu tenho um amigo que tem seu preço, sua maneira, ... Fala com ele porque eu também não sou cambista. Risos.
Lamine: Eu tenho vip. Tenho muitos vips. Não tenho categoria 3 (...) Onde você está, no Rio?
Assis: Não, ... Porto Alegre.
Lamine: E quando você vem ao Rio?
Assis: Escuta, estou indo para a China amanhã...
Lamine: (pergunta algo como que eles vão fazer lá).
Assis: O Atlético Mineiro tem quatro partidas lá.
Lamine: Ah, tá.
Assis: Então eu parto a trabalho por 15 dias, depois retorno no início de julho.
- - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Lamine: (Sobre festa dia 25 em cobertura na Lagoa para assistirem França x Equador).
Lamine: Eu convidei a Seleção do Brasil de 1970: Gerson, Rivelino, Paulo Cesar, Jairzinho...
Trecho incompreensível. Lamine: Convidei Carlos Mozer para assistir Argentina e Bósnia.
Assis: Além de tudo eles foram excluídos do Mundial A CBF não se importa com eles. (...)
Lamine: Você vai voltar dia 25, não é? Quando você chega?
Assis: Você vai ficar este mês aí?
Lamine: Até o final da Copa do Mundo. Até dia 14.
Assis: Estou em vista de algo. Estou com a possibilidade de mandar meu irmão para fora. Tem a chance de (áudio incompreensível) ou qualquer coisa como Qatar com meus amigos de lá. A gente quer sair por pelo menos 10 milhões por temporada.
Lamine: Por quanto?
Assis: 10 milhões. Já vi que este ano eles vão colocar como teto 10 milhões, 10 milhões e meio. E além disso, ainda tem a transferência.
Lamine: Deixa eu falar com o Kalifa Mohamed de Qatar e Mohamed de Dubai e retorno.
Assis: Ok. Eu aguardo.

(O Tempo)