Neymar diz que campanha do Brasil foi ruim e vai torcer por Messi na final da Copa

Ana Elisa Santana 

Neymar, que voltou à Granja Comary nesta quinta, concedeu a primeira entrevista nesta tarde e se emocionou ao falar de lesão (AP Photo/Leo Correa)

Os argentinos têm a torcida de Neymar no jogo da final da Copa do Mundo de 2014 contra a Alemanha. O craque afirmou no início da noite desta quinta, em sua primeira entrevista após a lesão que o tirou da competição, que admira seus companheiros de Barcelona: Lionel Messi e Javier Mascherano, ambos da Argentina. "O merecimento de Alemanha e Argentina por ter chegado à final é muito grande", afirmou. Momentos depois, no entanto, ele brincou afirmando que não é "um brasileiro torcendo para a Argentina": "eu disse que estou torcendo para dois companheiros, um que eu tinha como espelho, ídolo, e passei a admirar como pessoa e jogador", esclareceu, referindo-se ao camisa 10 da seleção dos hermanos.

"Minha torcida é sempre do Messi. Eu falava para ele que queria a Argentina na final porque o Brasil ia chegar na final", afirmou Neymar, que também lamentou a derrota da Seleção Brasileira para a Alemanha em uma goleada de 7 a 1 e defendeu seus colegas. "Assim como para todos vocês, pra mim foi uma coisa inacreditável, eu não consigo explicar porque não tem como. A gente assume a responsabilidade de ter perdido um jogo. É só não baixar a cabeça, é levantar. Vida que segue", afirmou.

Neymar defendeu a qualidade técnica de seus colegas de equipe. "Todos os jogadores trabalharam e são merecedores pra estar aqui. Se parar pra analisar e escalar novamente uma seleção brasileira, quase 90% dos jogadores estariam lá", argumentou, enfatizando que a derrota é parte do futebol. "Não é por uma perda que todos os jogadores são ruins. A gente está ali, está exposto a acontecer tudo, fazer uma goleada, tomar uma goleada", disse.

Lesão. O Camisa 10 da seleção brasileira se emocionou ao falar de sua lesão: "se fosse dois centímentros para dentro eu hoje poderia estar de cadeira de rodas", afirmou, criticando a entrada do colombiano Zuñiga na jogada que o tirou da Copa de 2014: "Foi um lance que eu não concordo, não aceito, (...) todo mundo que entende de futebol sabe que não é uma entrada normal de se fazer", afirmou.

Segundo Neymar, o colombiano o procurou por telefone para pedir desculpas e desejar uma boa recuperação. "Não sinto rancor por ele, não sinto ódio, nada. Desejo que ele tenha sucesso na vida dele, tudo de melhor", garantiu.

Neymar chegou e saiu da coletiva de imprensa caminhando, mas afirmou que em nenhum momento houve a hipótese de que ele jogasse a possível final no Maracanã. "O doutor Runco já tinha falado que eu estaria fora, por isso fui pra casa fcar com minha família, porque aqui eu não ia ter força pra incentivá-los nem me incentivar", disse.

Sobre o futuro, o jogador criticou as especulações sobre a troca do treinador Luis Felipe Scolari. "Nós brasileiros temos uma mania um pouco errada de que quando se perde tem que mudar, e no futebol não é assim. Corrigir é mais importante do que pensar em mudar alguma coisa", afirmou, garantindo que o foco agora é conquistar o terceiro lugar no jogo do próximo sábado, contra a Holanda. "Meu sonho não acabou, continua. Não é por causa de uma derrota que eu vou deixar meu sorriso ir embora. Ele pode se fechar por um dia, alguns minutos, mas para sempre não", concluiu.


Ana Elisa Santana - Portal EBC