Lugano cita cotovelada de Neymar em croata para defender Suárez

Zagueiro confessou que ficou surpreso com a abertura de uma investigação do caso pela Fifa

Lugano, zagueiro do Uruguai - Copa do Mundo 2014

Defensor uruguaio lembrou de outros lances violentos na Copa e criticou postura da imprensa

Chamado de capitão pelos uruguaios mesmo afastado do time por causa de uma inflamação no joelho, o zagueiro Diego Lugano assumiu o papel de líder na defesa de Luis Suárez.

Na terça (24), após a vitória por 1 a 0 sobre a Itália, que classificou a Celeste para as oitavas de final, o ex-são-paulino já havia dito que não tinha visto mordida de Suárez no zagueiro Chiellini. Afirmou, inclusive, que a cicatriz que o italiano exibia era antiga.

Nesta quarta-feira (25), Lugano voltou a defender o grande ídolo uruguaio do momento. E ainda criticou a cotovelada que Neymar deu em Modric, da Croácia, no jogo de abertura da Copa. O lance resultou em cartão amarelo para o atacante brasileiro.

"Na verdade, pessoalmente me deixou muito p... [a repercussão], porque o Uruguai teve uma vitória histórica e, em um lance normal, de jogo, para tirar a concentração do adversário, a imprensa mundial decidiu falar de algo normal", disse Lugano, em entrevista no hotel onde a delegação está hospedada em Natal.

"Lembro da cotovelada no nariz, depois de olhar [para o jogador]. Vi briga de companheiros [camaroneses] e chute no adversário. Isso, sim, é perigoso. Não sei se os jornalistas querem fazer justiça ou ter alguma vantagem esportiva. Não vejo como um lance que não traz consequência para ninguém traga tanta repercussão", completou o zagueiro uruguaio.

A Fifa abriu investigação do caso. Lugano, porém, disse que não estava sabendo e acredita que a pressão da imprensa fez o lance tomar tamanha proporção.

"Nem sabia que a Fifa tinha feito isso, fico surpreso. A gente assiste muito futebol e não vi falarem assim dos fatos violentos desta Copa. Ontem [terça] foi mútua provocação, contato. Fico surpreso, acho que a figura de Suárez vende, é um craque, carismático. É perigoso porque pode levar o Uruguai nas costas, ser o craque da Copa e o Uruguai não tem tanto peso político. Mas Suárez vai se levantar e vai ser o cara, vai carregar o time nas costas. Se é isso que temem, pode estar certo que ele vai fazer", declarou.

Na última temporada, Lugano defendeu o West Bromwich, da Inglaterra. No entanto, disse não entender o que um repórter da BBC perguntava em inglês. O uruguaio apenas repetia que não entendia a qual "incidente" com Suárez o jornalista estava se referindo. Em seguida, questionou se ele estava recordando de algum problema antigo no Campeonato Inglês ou se estava se referindo à Copa.

"Você está aqui porque Suárez vende jornal", disparou Lugano.

Depois, ajudado por uma afirmação de um repórter uruguaio, que lembrou mais uma vez o caso da cotovelada de Neymar, a falta dura de Thiago Silva em Chicharito, do México, e a ajuda da arbitragem que o Brasil teve na estreia da Copa, contra a Croácia, Lugano concordou e disse que também teve dificuldade para assistir ao gol de Godín nas TVs brasileiras nesta terça (24).

"Foi um intercâmbio de provocação [entre Suárez e Chiellini], um querendo desconcentrar o outro, um empurrão, e se trata com um dramatismo... Coisas graves são romper joelhos, coisas assim. Era uma partida entre Uruguai e Itália, campeões do mundo, onde acontece de tudo. Cada um com a sua vantagem. Eles se atiraram, são cheios de catimba, impressionante que a imprensa não fale disso", reforçou o capitão dos uruguaios.

"Está tão claro, tão evidente, que causa graça. Mas Suárez é uma figura carismática, diferente, definitiva. E algum rival pode pretender tirá-lo [da Copa]", insinuou o zagueiro.
Lugano voltou a treinar nesta quarta-feira (25), em Natal, mas disse que ainda não está totalmente recuperado. Portanto, ele não deve enfrentar a Colômbia, sábado (28), às 17h, no Maracanã.

(O Tempo)