ANSIEDADE. Torcida, jogadores, comissão técnica: todo mundo esperando a reestreia na elite hoje contra o América

Time confiante, mas ligado no América que estreia Rafael Moura

Foto:Marcioline

indepenmdecia-marciooline

 

Jogo acontece logo mais no Independência


Por Luiz Antônio Costa | ESPORTE HOJE


Cinco jogos abrem hoje, 17, (quarta-feira), o Campeonato Mineiro de 2018. A competição começa com América Mineiro e Clube Atlético Patrocinense(CAP), às 19h30, o Estádio Independência, em Belo Horizonte. A mesma ansiedade bate no time, torcida e diretoria, todos não vêem a hora da bola rolar. Juninho Arcanjo, meia do CAP, do alto de sua experiencia diz que isso é "só até o juiz apitar e a bola rolar".

 

Os jogos da rodada. No Almeidão, em Tombos, às 20h, jogam Tombense e Villa Nova. Às 20:30, um clássico regional aqui do Alto Paranaíba e Triangulo, no Parque do Sabiá em Uberlândia, Uberlândia e URT e em Governador Valadares, Democrata GV x Caldense. Às 21h45, no Mineirão – que deve ter boa lotação do torcedor para ver o novo time - Cruzeiro enfrenta o Tupi. Amanhã, um jogo fecha a primeira rodada: em Varginha, o Boa recebe o Atlético Mineiro, às 19h30.

 

AGUIAHISTORIA. Fundado em 1948, com registro oficial de fundação no dia 19 de março de 1954, o Clube Atlético Patrocinense esteve uma única vez na elite do futebol mineiro: foi de 1991 a 1994, quando jogou várias vezes no Mineirão contra Cruzeiro e Atlético, e no Independência, contra América, em Belo Horizonte.

 

Os maiores feitos na história do clube foram: campeão da Primeira Divisão em 1968 (na época a elite era chamada de Divisão Extra, equivalente ao Módulo II), contra o Independente de Uberaba; vice-campeão da Terceira Divisão, em 1986, contra Comercial de Campo Belo; vice-campeão do Módulo II em 1991, contra o Araxá(quando teve o acesso ao Módulo I – elite – pela primeira vez); campeão da Copa Triângulo em 1997, contra o Ituiutaba; campeão em 2000 da segunda divisão contra o América de Alfenas; campeão da Terceira Divisão em 2004 e essa sequência meteórica de 2016 a 2018 quando chegou de novo a elite. Esta saga estará no livro “CAP – A história de uma paixão grená” que será lançado ainda neste semestre.

 

OUTRA FASE. Nesta quarta, 17.1.18, começa outra fase desta história, contra o América Mineiro, no Independência em Belo Horizonte. O América treinou na tarde desta terça-feira, focado para o jogo de estreia no Campeonato Mineiro, contra o Patrocinense, nesta quarta-feira, às 19h30, no Independência.

 

No primeiro jogo oficial do América na temporada 2018, a grande expectativa fica por conta da estreia do centroavante Rafael Moura.

 

O CAP encerrou as atividades da pré-temporada nesta terça-feira treinando em Belo Horizonte. Com cinco jogos nesta preparação, o time ganhou dois, empatou dois e perdeu um. Juninho Arcanjo, um dos mais experientes do grupo diz que a ansiedade do time pela estreia é só até a hora que o juiz apita o começou do jogo. Para o lateral Ângelo a preparação foi muito boa e foi bom porque ninguém se lesionou neste período.

 

TAMBÉM DEBUTANTE. Será também a estreia do técnico Rogério Henrique na elite do futebol mineiro. Ele diz que se preparou para isso durante muito tempo. Rogério Henrique diz também que o ritmo ideal só será alcançado com dois jogos oficiais, mas está confiante num bom resultado.

 

CAP-2018

 

CAP não reinauguração do estádio Pedro Alves em Patrocínio

 

FICHA

América F.C.: João Ricardo; Norberto, Messias, Rafael Lima e Giovanni; Zé Ricardo, Matheus Sales e Renan Oliveira; Aylon, Luan e Rafael Moura. Técnico: Enderson Moreira

 

C.A. Patrocinense: Neguete, Ângelo, Diego Borges, Rodolfo Mol e Nilo; Bruno Moreno, Mario César, Leomir e Juninho Arcanjo; Genesis e Ademir. Técnico: Rogério Henrique 

 

Arbitragem: Ronei Cândido Alves (CBF), Helen Aparecida Gonçalves Silva Araújo (Avançado CBF) e Magno Arantes Lira (CBF). Enivaldo Lopes da Silva (reserva)

 

A REPERCUSSÃO NA IMPRENSA.

 

O jornal "O Tempo", traz na sua página de esportes, o seguinte destaque:

 

PATROCINENSE

Casa nova e base mantida para confirmar ascensão meteórica

 

A cidade de Patrocínio, de cerca de 100 mil habitantes vive a euforia da ascensão meteórica do time à elite do Estadual

 

 

Não é exagero falar que Patrocínio respira futebol. A cidade de cerca de 100 mil habitantes, localizada no Alto Paranaíba, vive a euforia da ascensão meteórica do Patrocinense à elite do Estadual. Não à toa, a prefeitura local investiu cerca de R$ 3 milhões nas reformas do estádio Pedro Alves do Nascimento, que terá capacidade para cerca de 8.000 pessoas.

 

Esse investimento animou, e muito, o vice-presidente do clube, Florisvaldo José de Sousa, conhecido como Valtinho do Jandaia, que aposta em uma boa temporada da equipe recém-promovida à elite. “A cidade vive a expectativa pela elite. Esse acesso em apenas dois anos contagiou a todos, e hoje a cidade vive e respira futebol. Vamos fazer uma grande competição e apostamos no torcedor para conseguir nossos objetivos”, afirma.

 

A confiança também é vista no elenco. Um dos líderes, o zagueiro Rodolfo Mol, cria da base do Cruzeiro, destacou que o clube não virá apenas a passeio no Estadual. “Sabemos que muitos pensam que vamos cair, mas temos a certeza de que temos um plantel forte. Nosso objetivo é brigar por uma vaga nas quartas. Vamos ter essa pedreira contra o América na estreia, e contamos com o apoio da torcida nas rodadas seguintes, contra URT e Tombense, para mostrar que podemos brigar de igual para igual”, aponta.

 

Ressurgindo

Retorno meteóricoFundado em 1954, o Patrocinense disputou a elite do Campeonato Mineiro entre 1991 e 1994. Porém, chegou a encerrar as atividades em 2005, quando disputou o Módulo II e acabou rebaixado. Em 2016, o clube se reestruturou, disputou a Segunda Divisão, subiu, e foi campeão do Módulo II da última temporada.


expressouniao 26062014 redehoje 600x100 insti