SOCORRO. CNC solicita apoio a cafeicultor afetado por geada

Conselho se reuniu com o Governo Federal e sugeriu uma linha e crédito, com condições especiais, para produtor que teve cafezal afetado 

O presidente do CNC, Silas Brasileiro se reuniu com diretor do Mapa Silvio Farnese. Foto: Divulgação|CNC


DA REDAÇÃO DA REDE HOJE


O Conselho Nacional do Café (CNC) se reuniu, na quarta-feira, 17 de julho, com o diretor do Departamento de Comercialização e Abastecimento da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Silvio Farnese, para solicitar a viabilização de uma linha de crédito que atenda aos produtores que possam ter sofrido impactos com a ocorrência das geadas recentes.

Segundo o presidente do CNC, Silas Brasileiro, a entidade realizou contatos com entidades estaduais, como as Empresas de Assistência Técnica e Extensão Rural e Institutos de Pesquisa, além das cooperativas associadas, que informaram que estão realizando um levantamento sobre o possível impacto da geada.

"Há relatos de lavouras que foram muito afetadas em algumas regiões e de ímpeto menos agressivo em outras áreas do cinturão cafeeiro. Estamos apurando o real impacto desse fenômeno climático e o levantamento de produtores e localidades que necessitarão de suporte para o reestabelecimento de seu cafezal", informa.

O presidente do CNC explica que a intenção é apoiar todos os produtores que tiveram suas lavouras afetadas pela geada, independente se sua região foi mais ou menos impactada. "Como entidade representante dos cafeicultores, temos a obrigação de olhar o todo e buscar o máximo auxílio", comenta.

Brasileiro antecipa que o pedido feito ao Governo Federal é para que haja um custeio especial ou uma linha especial de crédito a esses cafeicultores prejudicados. "Esse foi um contato inicial e as negociações se estendem junto à área econômica, mas nossa ideia é conseguir um financiamento com prazo e carência compatíveis com a realidade dos produtores atingidos, de forma que possam honrar esse compromisso assim que os cafezais se recuperarem e retomarem sua carga efetiva de produção", conclui.


onneto-686x113px-maio2019