Pela segunda vez, Petrobras adia leilão dos equipamentos da Planta de Amônia em Uberaba

Obras da UFN-V em Uberaba estão suspensas desde de 2015 (Foto: Prefeitura de Uberaba/Divulgação)

O leilão dos equipamentos da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados V (UFN-V/Planta de Amônia) em Uberaba foi adiado pela segunda vez. Conforme publicado pela Petrobras no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (22), o leilão agora está marcado para os dias 20, 21 e 22 de fevereiro.

No aviso, a estatal informa que o adiamento é devido à implantação de melhorias no Portal Petrocnet, site em que será feito o leilão online.

O processo, que estava previsto para ocorrer em novembro, havia sido adiado para esta terça (23), quarta (24) e quinta-feira (25), depois de o prefeito de Uberaba, Paulo Piau, conseguir a prorrogação durante uma reunião com a direção da Petrobras.

Em dezembro, o Ministério Público Federal (MPF) recomendou ao presidente da Petrobras, Pedro Parente, que suspendesse o leilão dos equipamentos da UFN-V/Planta de Amônia.

Na época, a Petrobras teria dez dias para informar se ia ou não acatar a recomendação do MPF. A reportagem entrou em contato com a assessoria da estatal para saber qual o procedimento seria feito, mas não houve retorno na oportunidade.

Nova data para leilão da Planta de Amônia foi publicada pela Comissãod de Alienação da Petrobras (Foto: Reprodução/Diário Oficial da União)

Nova data para leilão da Planta de Amônia foi publicada pela Comissãod de Alienação da Petrobras (Foto: Reprodução/Diário Oficial da União)

A Planta de Amônia

A construção da UFN-V seria feita pelo consórcio Toyo Setal Fertilizantes, que tinha firmado um contrato com a Petrobras no valor de mais de R$ 2,1 bilhões. A obra seria custeada por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Em 2014, a obra chegou a ser batizada e recebeu até uma pedra fundamental, mas, após iniciadas as obras, foi suspensa em julho de 2015.Segundo o MPF, os relatórios indicam que 37,76% das obras físicas foram concluídas e já foram gastos mais de R$ 649 milhões, equivalente a 33,12% do total destinado para o projeto. No entanto, um relatório divulgado ao mercado em 2016 pela Petrobras reconheceu perdas no valor de US$ 190 milhões no que diz respeito à UFN-V.

No procedimento instaurado pelo MPF, que acompanha possíveis danos ao patrimônio público em razão da paralisação do projeto, a Petrobras informou que, sem a manifestação de interesse por parte de investidores privados para assumir o projeto como um todo, parte dos equipamentos adquiridos e que seriam empregados na fábrica foram disponibilizados para aproveitamento interno por outras unidades da Companhia, e que a outra parte, em que não houve interesse no referido aproveitamento, foram encaminhados para alienação por meio do Leilão Internacional. O total de equipamentos disponibilizados para outras unidades soma quase R$ 1,6 milhão.

Serão disponibilizados para o leilão equipamentos como tanques de armazenamento, tubos e vasos, e estruturas metálicas prediais, entre outros, que são considerados relevantes caso algum investidor queira assumir o projeto. O valor desses equipamentos foram avaliados em mais de R$ 19 milhões.

Serão disponibilizados para o leilão equipamentos como tanques de armazenamento, tubos e vasos (Foto: Petrobras/Divulgação)

Serão disponibilizados para o leilão equipamentos como tanques de armazenamento, tubos e vasos (Foto: Petrobras/Divulgação)

(Com G1)