Uberlândia intensifica ações de imunização contra febre amarela após morte de macaco

Resultado de imagem para febre amarela vacina gov

A Prefeitura de Uberlândia informou durante entrevista coletiva para imprensa, nesta terça-feira (30), que um macaco foi diagnosticado com febre amarela. O animal foi encontrado em novembro de 2017 no Bairro Lídice e passou por exames que confirmaram a doença. Ações de imunização serão intensificadas na cidade.

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado também nesta terça (30) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), as cidades do Triângulo Mineiro não têm registro de caso de morte de humano por febre amarela nos útimos meses. Durante a coletiva, a Prefeitura de Uberlândia informou que 90% do público-alvo foram imunizados e ainda restam cerca de 70 mil pessoas para tomar a vacina.

Como medida preventiva, serão intensificadas ações de imunização. De acordo com a coordenadora do Programa de Imunização, Cláubia Oliveira, elas acontecem em locais com grande fluxo de pessoas com o intuito de facilitar o acesso à vacina.

“A febre amarela é uma enfermidade grave e a única forma de prevenir é se imunizando. Por isso, intensificamos nossas atividades, em busca daquelas pessoas que ainda não foram vacinadas. Facilitamos o acesso de todos, inclusive de quem trabalha e ainda não teve condição de ir às unidades. Temos a meta preconizada que é de 95%, mas claro que estamos buscando superar isso”, explicou.

Minas Gerais já tem 81 casos confirmados de febre amarela desde dezembro de 2017. Deste total, 77 são homens e quatro mulheres. De acordo com boletim da SES-MG, 36 pessoas morreram em decorrência da doença e 66% das mortes foram registradas na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

(G1)


edwaldo contabil 600x83-24052017