EMPREGO. Patrocínio chega ao 2o lugar, em Minas, na geração de emprego no segundo trimestre de 2018

No primeiro trimestre o munícipio ocupava a sexta colocação no Estado

Foto: Divulgação PMP

emprego3 As mineradoras e a chegada de empresas com o Bahamas na cidade, contribuíram significativamente para esse desempenho


Da redação da Rede Hoje


 Segundo informações do Serviço Nacional de Emprego (Sine), Patrocínio alcança a 2a posição no ranking de empregabilidade no segundo trimestre de 2018 em Minas Gerais. No ano passado o município ocupava a 9ª posição no Ranking de Minas Gerais e no primeiro trimestre desse ano era o sexto lugar no Estado em geração de postos de trabalho. As informações são do coordenador do Sine na cidade, Cássio Amaral. 

bahamas 2

Empreendimentos como o atacarejo Bahamas contribuiram para este desempenho

 

O coordenador do órgão explica que “as áreas de maiores destaques foram a agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura”. Mas, Cássio Amaral diz que também contribuíram para aumento: “o comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas e a mineração que vem ganhando espaço no cenário local e regional”, destaca. Chegada das mineradores e de empreendimentos como o Bahamas, contribuiram sigificatimente para estes dados.

 

As informações foram repassadas pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, conhecido como CAGED, que se trata de um registro administrativo do Ministério do Trabalho e Previdência Social que mede a quantidade de admissões e demissões de funcionários em regime CLT. A base de dados do órgão inclui a identificação do nome das empresas e dos empregados, assim como informações sobre contratação e desligamento dos empregados. Todo estabelecimento que tenha admitido, desligado ou transferido empregado com contrato de trabalho regido pela CLT, ou seja, que tenha efetuado qualquer tipo de movimentação em seu quadro de empregados é obrigado a emitir dados para o Cadastro.

 

No CAGED diário, a emissão é feita nas datas em que ocorrem a admissão ou demissão de funcionários. Nesse caso, a empresa deve observar se o empregado está recebendo o seguro-desemprego ou deu entrada para receber esse benefício.

 

Para o prefeito Deiró Marra, o bom resultado do município no setor tem a ver com o trabalho desenvolvido pelo Sine de Patrocínio, ligado a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social.