SEGURANÇA. Denúncias de fábrica de multas fazem prefeito romper contrato de radares das ruas de Patrocínio

Deiró Marra anunciou que em virtude disso será criado o monitoramento de câmeras e liberou 1,2 milhão de reais para implantação do serviço

Foto: Comunicação|PMP

TRANSITOPMP

O prefeito convocou a imprensa e chamou todos os agentes de trânsito de Patrocínio


Da redação da Rede Hoje


 

O prefeito Deiró Marra anunciou nesta segunda-feira (04), o rompimento do contrato com a empresa responsável pela fiscalização eletrônica em Patrocínio e a consequente retirada de todos os radares eletrônicos - “pardais” -, das ruas da cidade. O prefeito disse que os recursos recebidos da nova empresa concessionária da zona azul, cerca de R$ 1,2 milhão, serão destinados à implantação do programa “Olho Vivo”, de monitoramento de câmeras na cidade, que acontecerá breve. 

O objetivo da medida, explicou o prefeito, é acabar com pecha que esse governo herdou da administração, de “indústria da multa” e que não representa a verdade, segundo Deiró.

 

AUMENTO DE VELOCIDADE. O prefeito explicou que as autuações, portanto as multas não são aplicadas pelos agentes de trânsito como muita gente pensa. Segundo estatística da Prefeitura “de cada três multas, duas são oriundas dos pardais”, disse. Ele falou também que “a retirada dos equipamentos não representa que estamos autorizando o aumento da velocidade nos pontos que estão instalados. Levantamentos já estão sendo feitos e nos locais e serão colocadas passagens de pedestres elevadas e estaremos lançando uma campanha de conscientização para que os limites sejam respeitados”, explicou Deiró Marra.

 

O prefeito destacou que os Agentes de Trânsito vão ter uma maior atuação, “mas com responsabilidade para orientação, prevenção e posteriormente multas se for o caso”, explicou.

 

NOTIFICAÇÃO. De acordo com o procurador do município, Anderson Aprígio, ainda essa semana a empresa que explora o serviço de radares eletrônicos móveis na cidade, a GCT de Belo Horizonte vai ser notificada da suspensão do contrato e a retirada de fato dos equipamentos dentro dos próximos 20 a 30 dias.

 

Enquanto isso os radares eletrônicos continuam em funcionamento normal e as multas aplicadas por eles prevalecerão até a sua retirada. Questionado se as autuações registradas seriam anuladas o prefeito disse que não tem poder para anular qualquer multa e destacou que “se elas existem é porque seguramente alguma infração foi cometida”.

 

MONITORAMENTO ELETRÔNICO. Deiró Marra ainda anunciou que cerca de R$ 1,2 milhão de reais já depositados nas contas da Prefeitura pela empresa Rizzo Parking, que vai explorar o serviço do trânsito rotativo em Patrocínio, conhecido como “Zona Azul”, será aplicado no Programa “Olho Vivo”, especifica ou, em parceria com o sistema do Conselho Comunitário Municipal de Segurança já em funcionamento.

 

As forças de segurança do município, Polícia Militar e Civil, devem assumir um trabalho de parceria nestas medidas de segurança de trânsito, adotando medidas para coibir altas velocidades na zona urbana.

 

AGRESSÃO. O prefeito Deiró Marra salientou ainda que a medida atende uma antiga reivindicação da maioria da população. Segundo ele, “a preocupação é com a segurança do cidadão e com o bem estar dos Agentes de Trânsito. Na última semana tivemos um caso em que um de nossos agentes quase foi agredido por um cidadão que, acabou por danificar um bem público e para tanto vai responder judicialmente”, disse.

 

O encontro realizado com a imprensa na sala de reuniões do gabinete contou com as presenças do Tenente-coronel Jabes Campos e subcomandante Major Salomão Caixeta; Delegado Regional, Valter Salviano; Alcides Dornelas secretário Municipal de Segurança, Trânsito e Transportes; subsecretário Major Nestor, coordenadora Wanda Brandão; procurador geral do Município Anderson Aprígio e todos os 16 Agentes de Trânsito da cidade