EXCLUSIVO. Patrocínio já recebeu liberação de licença prévia para implantar aterro sanitário.

Antônio Geraldo de Oliveira, presidente do Codema de Patrocínio, fala sobre a aprovada

antogio-g

Antônio Geraldo de Oliveira, presidente do Codema de Patrocínio

 


Da Redação da Rede Hoje


Será que Patrocínio ficará livre do lixão de uma vez por todas? Quem responde a essa pergunta é Antônio Geraldo de Oliveira, presidente do Codema de Patrocínio, que recebeu nesta segunda-feira, a informação da liberação da licença prévia para instalação do aterro sanitário da cidade, aprovada na última quarta-feira, dia 19. O aterro sanitário funcionará próximo à rodovia Patrocínio-Perdizes, a 15 quilômetros da cidade.

      A Rede Hoje conversa com o Antônio Geraldo de Oliveira sobre a decisão e os desdobramento dela.

 

REDE HOJE - Bem Antônio, o Codema recebeu essa comunicação da Superintendência Regional de Meio Ambiente (Supram) a semana passada. Como é que foi esse processo e o que acontece agora?

ANTONIO GERALDO - A comunicação chegou nesta segunda-feira(25), mas a liberação foi aprovada na última quarta-feira, dia 19. A licença prévia aprova a viabilidade Ambiental do local. Agora a Prefeitura deverá ter a licença de instalação e posteriormente a licença de operação. 

 

REDE HOJE - Para quando está previsto o inicio das operações em Patrocínio?

ANTONIO GERALDO - A gente não tem uma data correta ainda. Mas em breve, o mais rápido possível, a gente anuncia a licença de instalação e operação.

 

REDE HOJE - Onde será? 

ANTONIO GERALDO - Essa licença prévia vem para dar a viabilidade ambiental do local, que fica na saida de Patrocínio para Perdizes, a mais ou menos 15 km da cidade. É um terreno de aproximadamente 35 hectares. 

 

REDE HOJE - Como é que funciona? 

ANTONIO GERALDO -  Com o aterro sanitário, o município  resolve o problema do lixo doméstico, resíduos e também a viabilidade de outras ações no futuro.

 

REDE HOJE - Poderá ser montada uma usina para aproveitar a energia liberada? 

ANTONIO GERALDO - Bom, nesse primeiro momento essa questão de geração de energia a gente sabe que é possíve, mas não agora. No momento a gente tem licenciamento sanitário. Esse(geração de energia) é um outro processo e mais demorado. Pode ser que no futuro possa estar atendendo também para geração de energia.

 

REDE HOJE - E a reciclagem. Como será feito com os catadores? 

ANTONIO GERALDO. A reciclagem será feita no local. Está licenciado todo o processo, desde a coleta seletiva até a separação dos resíduos. Isso será feito perto do aterro, porque essas pessoas que trabalham com resíduo sólido como catadores, não podem ficar no perímentro do aterro. Mas a gente vai preparar um local adequado para que possa fazer a separação desses resíduos. Aqueles que tiram sua receita econômica lá terão um local para reciclagem de material orgânico e os que não são recicláveis,  vão direto para o aterro.


bellaforma 31012019