CULTURA. Programação da “Semana da Consciência Negra” tem muitas atrações neste meio de semana

Previstos Sarau Literário no Museu, com exposição de Arte Negra e o 3º Encontro de Capoeira com os integrantes do programa Arte Viva da Secretaria

Foto: Asscom|PMP

consciencia-negra

 

No final de semana conteceu o encontro de Matrizes Africanas no Clube União Operária


Da Redação da Rede Hoje


Uma programação cheia de eventos culturais acontecem em Patrocínio nesta terça(19) e quarta-feira(20), dentro das comemorações da “Semana da Consciência Negra”.  As comemorações começaram semana passada e são desenvolvidas pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo. 

 

Nesta terça-feira (19) será realizado um Sarau Literário “Carolina de Jesus com o tema 'Consciência Negra' no Museu com exposição de arte negra.

 

Na quarta(20) acontece o 3º Encontro de Capoeira com os integrantes do Programa Arte Viva da Secretaria, a partir das 19 horas no Poliesportivo do Catiguá Tênis Clube. De acordo com a secretário de Cultura do Município, Eliane Nunes, “estamos abordando questões como o racismo, a discriminação, a igualdade social, a inclusão do negro na sociedade, a religião e cultura afro-brasileiras, dentre outros”, disse. 

 

CONGADO. Na sexta-feira (15), foram abertas estas comemorações com festa em louvor a Nossa Senhora do Rosário e a São Benedito. Foi montada tenda em frente ao Poliesportivo da Matinha para isso, com a entrega da Folia e Terço Cantado. Também houve encontro de Matrizes Africanas que aconteceu no Clube União Operária. No sábado a Santa Missa e levantamento do Mastro com show de viola do cerrado. Nesse domingo foi celebrada Santa Missa pela manhã e à tarde, apresentação dos Ternos, Coroação e Procissão e ainda coroação dos festeiros de 2020.

 

O Dia da Consciência Negra é comemorado na próxima quarta-feira, dia 20 de novembro em todo o território nacional.  A data faz referência ao dia da morte de Zumbi dos Palmares, líder do Quilombo de Palmares, que lutou para preservar o modo de vida dos africanos escravizados que conseguiam fugir da escravidão. A importância da data está no reconhecimento dos descendentes africanos na constituição e na construção da sociedade brasileira.