Reajuste do P1 é adiado novamente e contas de 2012 são aprovadas

camara25062014 b

Ontem, a Câmara Municipal de Patrocínio teve três reuniões: a ordinária que foi a 16ª, a 5ª extraordinária que votou as contas da Prefeitura do ano de 2012, do prefeito Lucas Siqueira e a 6ª extraordinária para a aprovação do projeto de reajuste dos professores.

Professores P1

Com relação a este projeto, ele tem sido polêmico desde o começo. Originalmente o projeto previa aumento de 33% no salário dos professores P1 — além do aumento normal já concedido este ano a todos os servidores municipais. Com isso, o salário do P1 vai quase chegar ao valor do P2, passando de cerca de R$ 1.200,00 para quase R$ 1.700,00.

Só que o texto do projeto que tem como autor o prefeito Lucas Siqueira também mexia na carga horária dos professores P1. Os professores e os vereadores entenderam que haveria um aumento na carga horária; o prefeito disse que seria apenas uma adequação do número de horas que os professores teriam para fazer atividades em casa, mas negando que seria um aumento na carga.

No início do mês passado o projeto foi devolvido ao prefeito Dr. Lucas pelos vereadores para ser refeito. Nesta terça-feira (1) o projeto foi colocado novamente em pauta na 6ª reunião extraordinária, mas assim que foi colocado o vereador Bebé pediu para parar a sessão e fazer outra reunião interna para discutir o projeto. Depois da reunião entre os vereadores, a pedido da bancada da oposição, o projeto foi novamente retirado da pauta e semana que vem, na quarta-feira, o projeto volta com alterações.

De acordo com o presidente da Câmara, Cássio Remis, o projeto será avaliado em regime de urgência na próxima quarta-feira — a reunião ordinária de terça foi cancelada porque vários vereadores vão participar de um evento por isso a realização de uma extraordinária na quarta.

Contas aprovadas

Já na 5ª extraordinária foram votadas e aprovadas por 13 x 2 as contas da prefeitura de 2012. O parecer do tribunal de contas era pela aprovação. Apenas a Greyce e o Joel de Carvalho foram contrários. 

(Rafael Pires / Rádio Rainha da Paz)