Comissão convoca delegados que investigam episódio em que drone despejou produto químico sobre pessoas em Uberlândia.

Episódio aconteceu em evento que reuniu Kalil - (Foto: Arquivo ALMG - Guilherme Bergamini) e Lula(foto Ricardo Stuckert)

Da redação da Rede Hoje


A agressão sofrida por apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do ex-prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil durante evento político em Uberlândia (Triângulo Mineiro) será discutida pela Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) na segunda-feira (27/6/22). A audiência pública será realizada no Plenarinho I, a partir das 10 horas.

A audiência pública foi solicitada pela presidenta da comissão, deputada Andréia de Jesus (PT), e pelo deputado Cristiano Silveira (PT). Foram convocados para a reunião os responsáveis pela investigação do caso: os delegados da Polícia Civil Luciano Alves dos Santos e Ana Cláudia Pádua Passos. Os parlamentares querem esclarecimentos sobre o andamento das apurações.

Na última sexta-feira (17), Lula e Kalil, pré-candidatos à Presidência da República e ao Governo do Estado, se encontraram publicamente pela primeira vez em Uberlândia, selando uma aliança para as eleições deste ano. O público presente ao evento foi surpreendido com um drone que despejou um produto químico sobre a plateia.

As pessoas atingidas acreditaram que se tratava de urina e fezes. Mas, de acordo com a Polícia Militar, os responsáveis pela operação do drone confessaram ter pulverizado um produto utilizado para o controle biológico de moscas.

Segundo o G1, Rodrigo Luiz Parreira, Charles Wender Oliveira Souza e Daniel Rodrigues de Oliveira foram presos em flagrante, mas liberados após assinarem um termo circunstanciado de ocorrência para comparecerem posteriormente ao Juizado Especial Criminal.

Para a deputada Andréia de Jesus e o deputado Cristiano Silveira, foi uma ação de violência política contra os participantes do evento em Uberlândia. “Foi um ato covarde, grotesco e inaceitável”, afirmou Andréia de Jesus no Twitter.

É absurdo que esse tipo de ataque tenha acontecido, e ainda mais absurdo que nada seja feito a respeito. Precisamos apurar o que realmente aconteceu e punir os responsáveis por esse desrespeito com o povo”, afirmou Cristiano Silveira, também no Twitter.

Fonte: Ascom|ALMG