O projeto Cinesolarzinho exibe filmes na próxima quarta, as sessões acontecem na Praça do Enéas, com entrada gratuita


O Cinesolar é o primeiro cinema itinerante do Brasil movido a energia limpa e renovável; funciona dentro de uma van equipada com placas que utilizam um sistema conversor de energia solar para elétrica. Foto: Paulo Perez/Cinesolar 

Da Redação da Rede Hoje

A magia do cinema movido a energia solar é a proposta do projeto Cinesolarzinho, que chega a Patrocínio (MG), pela primeira vez, com apoio da CBMM e atividades gratuitas para a população. A programação tem sessões de cinema na quarta-feira (06/04), na Praça do Enéas, a partir das 18 horas, com exibição de curtas-metragens brasileiros e o longa “Fala Sério, Mãe!”. A entrada é gratuita.

Álvaro Rezende, analista de Relacionamento com a Comunidade da CBMM, reforça a satisfação em proporcionar esta atividade para Patrocínio e região. “Desta vez, um projeto voltado para o público infantojuvenil, que promove, por meio da arte, entretenimento com teor educativo e permite a participação do público no ambiente das produções cinematográficas”, diz.

Lançado em 2013, o Cinesolar - que tem a versão Cinesolarzinho para o público infantil - é o primeiro cinema itinerante do Brasil movido a energia limpa e renovável. Funciona dentro de uma van equipada com placas que utilizam um sistema conversor de energia solar para elétrica, que também carrega as cadeiras para o público, sistemas de som e projeção, telão e uma cabine de DJ. O projeto promove arte e sustentabilidade, levando a sétima arte a comunidades afastadas e com acesso restrito à cultura.

As sessões de cinema são atividades artísticas com uma linguagem que dialoga de forma lúdica com os moradores das comunidades, famílias e crianças, colocando o público em contato com os temas de sustentabilidade e energia renovável, além de arte e cultura”, destaca Cynthia Alário, coordenadora e idealizadora do Cinesolar.

Devido às restrições impostas pela pandemia de Covid-19, as exibições seguirão todos os protocolos de segurança adotados no município. Será disponibilizado álcool em gel para higienização das mãos, haverá controle de acesso e distanciamento entre as cadeiras.

O Cinesolarzinho é viabilizado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, conta com o patrocínio da CBMM e apoio da Câmara Municipal de Patrocínio, e é realizado pela Brazucah Produções e Governo Federal por meio do Ministério do Turismo.

PROGRAMAÇÃO:

Cinesolarzinho - Sessões de cinema

Data: quarta-feira (06/04)

Horários: 18h - Sessão Curtas

19h - ‘Fala Sério, Mãe!’

Local: Praça Dr. Antônio Bernardes Dias (Praça do Enéas) – Enéas Ferreira Aguiar – Patrocínio.

Em caso de chuva: Escola Estadual Terezinha Moreira Marra - Rua Sóstenes Santos Souza, 221 - Enéas Ferreira Aguiar



O Cinesolar carrega as cadeiras para o público, sistemas de som e projeção, telão e uma cabine de DJ.


SINOPSES DOS FILMES:

Vida Maria’ - Diretor: Marcio Ramos, 2007, Duração: 9min - Classificação indicativa: livre

Sinopse: Uma menina de cinco anos de idade se diverte aprendendo a escrever o nome, mas é obrigada pela mãe a abandonar os estudos e começar a cuidar dos afazeres domésticos e trabalhar na roça.

O Véu de Amani’ – Direção: Renata Diniz – Brasil – 14min – Drama – Livre

Amani é uma garotinha que veio do Paquistão e agora mora no Brasil. Ao mudar de casa, a menina de origem muçulmana recebe um presente inesperado da sua nova amiga brasileira: um biquíni.

Plantae’ – Direção: Guilherme Gehr – Brasil, 10´25, Animação. Livre

Sinopse: Ao cortar uma grande árvore no interior da floresta, um madeireiro contempla uma inesperada reação da natureza. Uma reflexão sobre as consequências irreversíveis do desmatamento e da subjugação lamentável dos humanos aos demais seres da Terra.

Procura-se’ – Direção: Iberê Carvalho – Brasil, 10min - Ficção

O filme conta a aventura de três crianças que rompem a fronteira social motivadas pelo sentimento sincero por um cachorrinho de estimação. Nossos heróis são: Camile, Didi e Gugu. Camile é uma menina de 10 anos, muito corajosa e rica, que ao perder Bolinha, foge de casa em busca do cãozinho, iniciando uma aventura cheia de descobertas, perigos e novas amizades; Didi tem a mesma idade de Camile, é pobre e vende chicletes para ajudar em casa. Ela descobre que existe uma boa recompensa pela devolução do cachorro que seu pai encontrara e dera de presente para seu irmão Gugu. Ela decide devolver o animal, mas Gugu não aceita a ideia de perder seu novo amigo, agora batizado de Panela.

Fala sério, mãe!’ - Direção: Pedro Vasconcelos – Brasil, 79 minutos - Comédia, Drama, Família

Ângela Cristina, mãe da adolescente Maria de Lourdes, está tendo a experiência de guiar sua filha durante uma das fases mais complicadas da vida. Ela vive uma montanha-russa de emoções, com medos, frustrações e um caminhão de queixas para descarregar. Por outro lado, a filha, Malu, como prefere ser chamada, também tem suas insatisfações. Embora teimosa, sofre com os cuidados excessivos e com o jeito conservador da mãe.

Sobre o Cinesolar: Lançado em 2013, o Cinesolar é o primeiro cinema itinerante do Brasil movido a energia limpa e renovável. O projeto exibe filmes a partir da energia solar e promove arte e sustentabilidade através de oficinas artísticas e lúdicas, levando a sétima arte a comunidades afastadas e com acesso restrito a projetos culturais.

Ao todo, o Cinesolar já realizou cerca de mil sessões com exibição de mais de 150 filmes, entre curtas-metragens (de temática socioambiental) e longas, em 440 cidades do país, percorrendo mais de 200 mil km e chegando a 185 mil pessoas. Além disso, foram ministradas mais de 300 oficinemas, que proporcionam acesso às técnicas básicas e aos elementos que compõem a linguagem cinematográfica.

O Cinesolar conta com o patrocínio institucional da Mercedes Benz, apoio das marcas Sices Solar, Biowash, baterias Heliar e Bio 2. O projeto realiza compensação de carbono em parceria com a Ecoar e promove ações em conjunto com a Unesco Representação Brasil e a Unipaz (Universidade da Paz).




 O projeto promove arte e sustentabilidade, levando a sétima arte a comunidades afastadas e com acesso restrito à cultura. Fotos: Divulgação/Cinesolar